Crepes com recheio de creme de cacau e mel de rosmaninho

Adoramos esta receita de crepes aqui em casa e hoje sugiro uma receita de Crepes com recheio de creme de cacau e mel de rosmaninho. O mel de rosmaninho é o preferido aqui por casa. De sabor suave e levemente aromático enriquece sem se sobrepor aos restantes sabores.

c

É sem dúvida o adoçante mais paleo, mais natural e mais sustentável. Este que utilizei é da Serramel. É um mel nacional, extraído de forma tradicional e com garantia de qualidade.

Aqui foi utilizado para preparar um recheio de cacau que é absolutamente delicioso e simple de preparar!

2/3 chávena de farinha de avelã
3-4 c. de sopa de óleo de côco derretido
2 c. de sopa de cacau em pó
Mel de rosmaninho q.b.

Misture tudo, recheie e aproveite.

b

A receita de crepes está aqui na página, pode ver aqui em pormenor. Tem apenas 3 ingredientes e é muito rápida de preparar:

4 ovos

1/2 chávena de polvilho doce

3/4 chávena de água

  1. Misture todos os ingredientes.
  2. Cozinhe em frigideira quente e untada com gordura a gosto.

E você gosta de mel? Qual é o seu preferido?

Azul Petróleo e Branco Minimalista Grade de Foto Receita Imagem para Pinterest (1)

Se gostou, partilhe nas suas redes sociais com os seus amigos! Faça tag a @temperosdaargas, sempre que experimentar as minahs receitas

Parceiro nesta receita: Serramel

Panna Cotta aromatizada com calda de maracujá

Assim que recebi esta tisana da mercearia online 2 Yummy, uma loja online da qual sou parceira, imaginei logo utilizá-la numa Panna Cotta. Não me pergunte porque é que a minha cabeça vai logo para os doces.  Também é assim?

IMG_20200730_170642

A tisana é drenante, feita com ingredientes biológicos produzidos no Alentejo e, de certeza que já a conhece pois é da Senas Saudáveis.

Veja este e outros produtos na loja e se usarem o cupão 10ARGAS tem 10% de desconto

Vamos lá então preparar a sobremesa:

400 g de natas frescas ou leite de coco
1 colher de sobremesa de tisana (usei Tisana Drain You)
1 colher de sopa de mel ou outro adoçante a gosto
10 g gelatina neutra em pó
Maracujás frescos.

1. Coloque as natas e mel dentro de um tacho. Coloque a tisana dentro da saqueta ou outro acessório com a mesma função e junte-a ao tacho.
2. Leve todos os ingredientes a lume brando e deixe cozinhar assim por uns 10 minutos, mexendo de vez em quando. Desligue e retire a saqueta.
3. Adicione a gelatina, misture e coloque em recipientes adequados. Leve ao frigorífico por algumas horas antes de servir.

Servi simples com polpa de maracujás da horta!

Utilizei estes recipientes próprios para o efeito da Tescoma  e ficam lindas ao desenformar! Se utilizar o cupão argas10 terá 10 % de desconto!

Amanhã trarei um Brownie para (não) desenjoar de doces 😂 Vamos a isso?

Parceiros nesta receita: Tescoma e 2 Yummy

Hambúrguer de coelho com pão de brócolos [low carb]

Depois de vos falar da Mitt, marca que se compromete em oferecer novas alternativas de consumo da carne de coelho nacional ao consumidor, trago-vos hoje uma receita prática e que agradará facilmente a todos: hambúrguer de coelho com pão de brócolos.

IMG_20200723_175801

A carne de coelho tem pouca quantidade de gordura, é uma carne branca e saudável de sabor suave mas característico. Aqui foi envolvida em bacon, acompanhada de salada e o tradicional pão foi substituído por um cogumelo marron em baixo e por um pão low carb de brócolos em cima. Rápido e saboroso!

IMG_20200723_163721

Burger de coelho envolto em bacon

Para 4 doses

1 embalagem de hambúrguer de coelho

8 tiras de bacon

Sal e pimenta q.b.

  1. Tempere a carne com sal, pimenta e aromáticas q.b., envolva-a cada burguer em duas tiras de bacon e coloque num tabuleiro forrado com papel vegetal.

IMG_20200723_164011

2. Pré-aqueça o forno a 200ºC, coloque o tabuleiro no forno a cozinhe por cerca de 20 minutos.

3. Coloque noutro recipiente forrado com papel vegetal os cogumelos arranjados e temperados a gosto.

Pão Low Carb de Brócolos

Para 4 doses

150 g brócolos crus

40 g farinha de trigo sarraceno

2 ovos

1 colher de sopa de farinha de coco

1 colher de café de fermento ou bicarbonato de sódio

Sal marinho

Opcional: sementes de abóbora para decorar

  1. Triture os brócolos num robô de cozinha.
  2. Misture os restantes ingredientes utilizando um garfo.
  3. Com uma colher, coloque a massa (não é maleável) sobre um tabuleiro forrado com papel vegetal e decore a gosto.
  4. Leve a cozinhar por cerca de 10 minutos.

Montagem

Queijo fatiado

Alface

Tomate

Cebola roxa

Mostarda

Pickles

  1. Chegada a hora da montagem, coloque os ingredientes a gosto e pode servir acompanhados de batata-doce em chips assada no forno.

IMG_20200723_180054

Não deixe passar o código de desconto de 10% na nossa online Mitt:

copia-em-conflito-origens-bio-1

Se gostar desta opção, partilhe nas suas redes sociais com @temperosdaargas.

pin

Papas de aveia (e ovo)

Hoje trago-vos uma receita simples e deliciosa de papas de aveia (e ovo) que ficou pronta em 5 minutos. 

IMG_20200727_145034

vos falei da minha nova placa de indução Free Cook da Meireles, marca da qual sou embaixadora. Confesso que a alteração de fogão a gás para placa de indução mudou bastante a nossa rotina. Essencialmente porque é prática tanto para utilizar como para limpar! 

Estas papas de aveia podem ser preparadas na noite anterior ou de manhã pois são muito rápidas de preparar e perfeitamente adaptáveis ao seu gosto particular. 

Para 2 doses:

1 medida (caneca) de flocos de aveia finos

2 medidas de água ou bebida vegetal

Ingredientes opcionais:

3-4 rodelas de banana

1 ovo

Canela moída

Manteiga de amêndoa ou de amendoim

Fruta para servir

Preparação:

  1. Leve a água, os flocos de aveia e a banana (se utilizar) e cozinhe por uns 5 minutos em lume brando.

IMG_20200727_141632

2. Se utilizar o ovo, adicione mais meia medida de água fria, misture no preparado quente e adicione imediatamente a clara de ovo crua e misture novamente até incorporar. Neste ponto, pode também adicionar a canela moída. Cozinhe por mais uns 2-3 minutos, até à consistência desejada.

IMG_20200727_142237

3. Em lume baixo, adicione a gema de ovo crua, mexa vigorosamente e cozinhe por mais um minuto.

IMG_20200727_142506

Sirva a gosto com fruta, manteiga de amêndoa ou amendoim.

A adição do ovo irá enriquecer a papa em proteína e gordura, tornando-a numa papa mais completa e saciante. Pode substituir os flocos de aveia por flocos de quinoa ou de trigo sarraceno.

IMG_20200727_145041

O que acha? Pronto para encarar um dia mais saudável?

Azul Petróleo e Branco Minimalista Grade de Foto Receita Imagem para Pinterest

Se gosta, partilhe nas suas redes sociais!

Parceiro nesta receita: Meireles

 

Um clássico: Osso bucco e risotto à milanesa

Osso bucco é presença habitual em festas da minha família, conhece? A receita que partilho convosco é um clássico de Itália: Osso bucco e risotto à milanesa.

o2

O que é o Osso Bucco?

O osso bucco traduz-se literalmente como “osso com buraco” e é um corte das patas traseiras de bovinos. O osso tem no seu interior o tutano, sendo, assim, particularmente importante optar por carne de excelente qualidade,de empresas nas quais temos total confiança – é o caso da Carne d’erva da qual já vos falei.

o6

O tutano não deve ser removido pois é crucial para dar consistência e sabor ao molho. A envolver o osso estão os músculos e tecido conjuntivo. Este ao cozer lentamente e por um longo período, vai formar a típica “gelatina” que é tão boa para a nossa saúde (redução da celulite, melhoria da elasticidade da pele, protecção de processos oxidativos, redução da inflamação intestinal, melhoria da saúde mental e do sono).

o3

Receita de Osso Bucco:

Para 3 pessoas

3 pedaços de Osso Bucco Carne d’erva (1 embalagem)

500 ml caldo de carne

100 g bacon

50 ml de vinho branco

4-5 tomates médios maduros

3 colheres de sopa polpa de tomate

2 cenouras

2 dentes de alho

1 colher de sopa de manteiga

1-2 pés de cebolete

1 colher de sobremesa massa de pimentão

Raspa de 1 limão

Sal marinho e pimenta moída q.b.

Tomilho, alecrim e louro q.b.

Fubá de mandioca (ou outra farinha) q.b.

  1. O osso bucco deve ser previamente descongelado no frigorífico durante 1-2 dias.
  2. Corte o bacon em tiras finas. Coloque na frigideira com a manteiga e salteie até dourar. Retire e reserve.
  3. Tempere o osso bucco com sal e pimenta moída e passe-o por farinha de modo a que fique bem envolvido.
  4. Salteie na frigideira previamente utilizada até dourar. Retire e serve.
  5. Adicione as ervas aromáticas, o alho, cebolete picado, raspa de limão e salteie por 1 a 2 minutos.
  6. Adicione depois os tomates picados, a massa de pimentão e a polpa de tomate e envolva. Cozinhe por mais 2-3 minutos.
  7. Volte a colocar a carne e bacon reservados previamente, assim como o caldo de carne, o vinho e a cebola em rodelas finas. Retifique os temperos e deixe cozinhar em lume brando com o recipiente tapado por cerca de 2-3 horas.

IMG_20200723_122825

Receita do Risotto de açafrão:

Para 3 pessoas

350 ml caldo de legumes

200 g arroz para risotto

50 ml vinho branco

40 g manteiga

25 g parmesão

1 colher de sopa de hastes de açafrão

1 dente de alho

1/2 cebola média

Sal marinho q.b.

  1. Aqueça o caldo de legumes.
  2. Aqueça a manteiga e salteie a cebola e o alho picados.
  3. Junte o açafrão e o arroz e frite ligeiramente. Acrescente o vinho e o sal marinho e deixe que levante fervura e o álcool evapore.
  4. Aos poucos, adicione o caldo, esperando que o arroz o absorva e só então coloque mais, mexendo sempre. Este processo de cozedura do arroz dura entre 18 a 20 minutos.
  5. Desligue o lume e envolva o queijo ralado.
  6. Deixe repousar dois minutos e sirva de imediato com o osso bucco previamente preparado.

o4

Pode servir com aromáticas picadas, alho e raspa de limão. E ainda pode acrescentar raspas de parmesão.

Se gostou desta receita partilhe-a nas suas redes sociais, colocando @temperosdaargas ou #temperosdaargas.

Parceiro nesta receita: Carne d’erva

 

 

Carne de coelho

Nesta publicação irei falar-nos de carne de coelho e desta nova parceria com a marca Mitt.

IMG_20200723_163721

Para algumas pessoas existe o tabu no consumo de carne de coelho, sendo mais habitual em algumas zonas do país e no sul da Europa. E, provavelmente, se não fez parte da sua educação, dificilmente passará a fazer mais tarde. E está tudo bem!

O que distingue a carne de coelho das restantes?

A carne de coelho é uma carne branca e pode ser enquadrada numa alimentação saudável e variada. Tem elevada quantidade de proteína (maior quantidade por 100 g em comparação com carne de vaca ou frango) e baixa quantidade em gordura.
É rica em ferro biodisponível, minerais (fósforo, zinco, selénio e potássio), vitaminas B3, B6 e B12.
Tem sabor suave e é tenra.

IMG_20200723_164011

MITT – Carne Coelho Online

A MITT pretende oferecer facilmente ao consumidor, providenciando entregas ao domicílio, uma variedade de cortes que facilitarão a preparação no dia-a-dia.

Tem cortes que eu designaria por modernos como hambúrguer, carne picada ou almôndegas (sendo estes com 100% carne), tem opções mais gourmet onde destaco os medalhões e lombinhos mas tem também a variante Lusitano, semelhante ao que estamos tradicionalmente habituados.

É carne produzida em Portugal, destacando-se pela excelência na preparação, corte e apresentação.

Visite a loja online, onde poderá consultar as diversas opções com entrega em todo o continente  e não deixe passar o código de desconto de 10% na nossa online Mitt:

copia-em-conflito-origens-bio-1

Parceiro nesta receita:Mitt

Carne de vaca de pasto: Carne d’erva

Hoje vou falar-vos desta nova parceria do blog Temperos da Argas, uma empresa que produz carne de vaca de pasto: “Carne d’erva”. 

90929257_104366367882385_4128168581747703808_o
Fotografia do Site Carne d’erva

Como sabem, sou Mestre em Engenharia Zootécnica. A produção animal é uma área que me apaixona, em especial a produção de carne, área na qual incidiu o meu mestrado. Muito do que aprendi ao longo da minha formação modelou quem sou hoje, assim como os hábitos alimentares que tenho e defendo na página – o estilo de vida Paleo

92886786_705473086861862_4829445291096806256_n
Fotografia do Instagram: Carne d’erva

Ao longo da minha formação, que incidiu sobre todos os produtos de origem animal, passou a fazer cada vez mais sentido escolher a origem dos alimentos que consumia, preferindo animais de produção sustentável, extensiva, nacionais, e, se possível, até produzidos localmente. Excluindo produtos processados, evitando químicos e outros aditivos. Portanto, quando “encontrei” o Paleo XXI, rapidamente cheguei à conclusão que este modelo fazia todo o sentido.

Tenho-me debruçado bastante não apenas no estudo da importância do consumo de carne e nos benefícios desta para a saúde, mas também sobre a importância da produção de carne de pasto para a sustentabilidade do nosso planeta. 

Importância do consumo de carne vermelha

A carne vermelha tem recebido má reputação nas últimas décadas, sendo, hoje em dia acusada de diversos problemas de saúde, mas também pelo aquecimento global. No entanto, a carne tem sido parte importante no desenvolvimento da espécie humana, sendo densa em nutrientes, é uma fonte de alimento eficaz que bastante contribuiu para o nosso desenvolvimento. Em contrapartida, hoje em dia, a alimentação ocidental passou a ser baseada em processados, em alimentos de produção intensiva, e o consumo de carne passou a ser visto, por muitos, como cruel. Muito advém do facto da sociedade atual estar desconectada da produção animal e vegetal.

No entanto, é inegável que a carne de animais de pasto é rica em ferro biodisponível, ómega-3, vitaminas B6, B12, tiamina, riboflavina, ácido pantoténico, ácido fólico, niacina, selénio, colina, beta-caroteno e zinco.  Sendo as vísceras partes particularmente densas em nutrientes, nomeadamente vitaminas e minerais. 

O que é a produção sustentável – regenerativa?

A produção sustentável é um conceito abrangido na produção regenerativa. Este conceito abrange a produção que pretende, não apenas, a produção de carne de excelente qualidade, mas também a regeneração do solo, enriquecendo-o e aumentando a biodiversidade.

Este conceito vai além da produção biológica, pois tem um conceito mais abrangente, que tem como objetivo a pegada neutra de carbono.

94189456_2565712423692787_3409792403123328653_n
Fotografia do instagram Carne d’erva

Como se consegue uma pegada neutra de carbono?

Os animais de pasto são alimentados exclusivamente a erva. As ervas das pastagens, através do processo de crescimento e fotossíntese, promovem uma elevada fixação de carbono atmosférico nos solos, compensando todas as emissões de carbono dos animais. Além disso, o solo fica mais rico, mais produtivo, sendo o pasto produzido sem químicos, promovendo assim a biodiversidade do solo e da herdade.

Carne d’erva

IMG_20200717_121617

A Carne d’erva cumpre todos os requisitos acima. É uma empresa nacional, onde se produzem animais nascidos em Portugal, criados na lezíria ribatejana numa herdade com mais de 100 hectares de pasto. A carne é, assim, de excelente qualidade e pode ser encomendada online e entregue em todo o país.

Tomada de decisão

Claro que cada um é livre de estudar e de tomar as suas decisões, como entender e como se sentir bem. A decisão deve ser tomada de modo consciente e sem superioridade moral perante as decisões dos restantes. Para mim, pessoalmente, faz mais sentido uma conexão com a natureza, com os animais que nela habitam, com a valorização do todo “do focinho ao rabo” e com a certeza de que todos nós dependemos de outros seres vivos para viver, sejam plantas, animais ou outros humanos. 

 

Placa de indução Free Cook [Meireles]

Assim começa a minha aventura com uma placa de indução!

Há algumas semanas pedi conselho aos meus seguidores pois queria substituir a minha placa a gás. E porquê? Essencialmente porque esta já tinha alguns anos e devido a uns pequenos “acidentes”, coloquei em causa a sua segurança. Tendo em conta que a minha filha Alexandra gosta de cozinhar, eu queria algo que me desse confiança suficiente para que ela a pudesse utilizar sem a necessidade de uma supervisão “obsessiva”!

Eu estava assim indecisa entre placa a gás e placa vitrocerâmica. No entanto, depois de receber o vosso feedback, a opinião quase generalizada era de que a escolha certa seria uma placa de indução.

Os argumentos dados, com vantagens que entretanto confirmei em várias pesquisas, foram os seguintes:

  • Muito mais rápidas a aquecer e a cozinhar.
  • Por serem tão rápidas são mais económicas (podem gastar menos 40 % do que uma placa vitrocerâmica).
  • Fáceis de limpar.
  • Mais seguras (apenas funcionam com recipientes apropriados e a placa não aquece mas sim o recipiente).

Em contrapartida, considerei que as desvantagens apontadas podem ser facilmente resolvidas:

  • Investimento inicial elevado mas que reverte facilmente devido aos menores gastos elétricos.
  • Apenas funciona com recipientes apropriados, no entanto, a maioria dos equipamentos atuais já são adaptados a placas de indução. Pode também facilmente ser adquirido um adaptador caso não queira prescindir do seu trem de cozinha.

O que eu procuro numa placa de indução:

  • Deve ser bonita (sim, vou colocar em primeiro lugar!).
  • Preferência a marcas portuguesas.
  • Completa.
  • Adaptável às minhas necessidades (grandes recipientes e pequenos recipientes).
  • Fácil de utilizar pela minha filha.

Meireles

Assim, surgiu como primeira escolha, os produtos da marca Meireles. Meireles é uma marca portuguesa com quase 100 anos, líder de mercado em Portugal e Espanha. Quem me acompanha, sabe que prefiro ter menos parceiros, mas parceiros nos quais tenho total confiança e que sei que fornecem produtos de qualidade superior. A Meireles decidiu abraçar o meu projeto Temperos da Argas e tornei-me assim embaixadora da marca.

Placa de indução escolhida

O catálogo de placas Meireles é variado, no entanto, a placa Free Cook despertou-me uma curiosidade particular por ser uma placa de área flexível, ou seja, tem 4 zonas booster com uma área intermédia flexível, permitindo assim a utilização de recipientes de maior tamanho, sem perder área de aquecimento.

O controlo é fácil por “slide” e tem também função de pausa e de bloqueio para crianças, assim como os habituais indicadores de calor residual e de detecção de recipientes.

Sabem que gosto de coisas práticas e eficientes e estamos totalmente satisfeitas com a escolha! Se tiverem dúvidas, digam-me e tentarei responder ao que necessitarem.

<img src=“image.jpg” alt=“placa de indução meireles” title=“image tooltip”>

Já vos disse que é extremamente fácil de limpar?

Parceria nesta publicação: Meireles.

Bolo de Alfarroba e Nozes [low Carb]

Perguntei e os seguidores decidiram: Bolo de alfarroba e nozes – low carb. Assim, 2 horas e meia depois já está feito, provado e aprovado! Ainda fiz uma cobertura de chocolate e usei uns morangos biológicos que comprei hoje para dar um ar especial.

IMG_20200720_164816

Um dos segredos para a rapidez é, claro, a kCook Multi, o meu robô de eleição – parceiros neste blog e que me apoiam nas minhas aventuras! Mas o outro motivo é o domínio na adaptação das receitas à Paleo, como vos transmiti no meu primeiro workshop online do tema e que poderão ainda assistir (envie MP!) .

Vamos à receita:

IMG_20200720_164801

120 g amêndoa moída
100 ml água
100 g azeite ou óleo de coco
30-40 g farinha de alfarroba*
30 g farinha de coco
10 g linhaça dourada moída
6 ovos
2-3 colheres de sopa de adoçante a gosto (para low carb preferir eritritol ou xilitol, mas pode usar açúcar mascavado, de coco ou mel)
1 colher de sopa de vinagre
1 colher de sobremesa de fermento

Nozes a gosto (2-3 nozes partidas)

IMG_20200720_164705

  1. Comece por bater as claras em castelo (na kCook Multi bati por 4 minutos na velocidade 8 com o batedor). Retire e reserve.
  2. Bata os restantes ingredientes até obter um preparado homogéneo (na kCook Multi bati por cerca de 30 segundos na velocidade 6).
  3. Incorpore delicadamente as claras em castelo.
  4. Coloque a massa numa forma untada com azeite e polvilhada com farinha de coco e leve ao forno por cerca de 40 minutos ou até estar cozido.

Se quiser preparar a cobertura, aqueça natas até ferver, retire do lume e junte o chocolate negro (aproximadamente 100 g natas para 100 g chocolate).

IMG_20200720_165130

*A farinha de alfarroba não é por si low carb. Mas aqui é utilizada numa pequena quantidade numa receita low carb.

Gosta da receita escolhida? O que quer na próxima semana?

Parceiro da receita:

kCook Multi

Creme de chocolate

Hoje é o Dia Mundial do Chocolate . Vamos celebrar com um Creme de chocolate?

Pensei que era todos os dias? Enfim, dizem que é hoje! ⁣

IMG_20200628_133608

Sou fã de chocolate! Sou fã de sobremesas de chocolate! Sou fã de chocolate quase-quase sem açúcar! Por isso, este dia tem mesmo de ser celebrado e como? Ora, com chocolate!

A sobremesa que vos trago é muito simples de preparar e é perfeita para dar gasto às gemas que por vezes andam esquecidas no frigorífico (se não for o caso, pode preparar crepes de claras com as claras que sobram)!⁣

Vamos lá preparar a receita:⁣

2 gemas de ovo⁣
2 c. sopa de açúcar mascavado (ou outro!)⁣
3 c. sopa de fubá de mandioca (ou polvilho, araruta, amido de milho)⁣
125 g chocolate negro⁣
550 ml de leite ou bebida vegetal a gosto⁣ – utilizei Joya 

IMG_20200628_113244

– leve o chocolate e o leite ao lume até que o chocolate derreta⁣
– misture as gemas com a farinha e o açúcar. Adicione um pouco do preparado quente e misture.⁣
– leve ao lume e cozinhe, mexendo sempre, até engrossar.⁣

Coloque em taças e leve ao frigorífico. Sirva frio com natas ou creme de coco batidos.⁣

Agora, diga-me lá? Prefere sobremesa de chocolate, baunilha ou fruta?⁣

Relembro que em compras no site Origens Bio tem 10 % de desconto com o meu cupão ARGAZITA10

Screen Shot 07-07-20 at 02.46 PM

Parceiro nesta receita: Origens Bio